Skip directly to content

O CANCRO DA MAMA DE A A Z

Este glossário explica muitos dos termos comuns que ouvirá em conversas sobre o cancro da mama metastático, incluindo os estadios, tipos, exames, sintomas e tratamentos. Escolha uma letra para começar

ABC

A

Anemia

Um número baixo de glóbulos vermelhos. Pode causar a sensação de cansaço, fraqueza ou falta de ar.

B

Bifosfonatos

Também conhecido como “tratamento para fortalecimento dos ossos”. Estes medicamentos são utilizados para retardar ou prevenir a lesão óssea. Reduzem também os níveis de cálcio.

Biópsia

Colheita de tecido para análise da presença de células cancerígenas.

C

Cancro da mama localmente avançado

Refere-se ao cancro da mama de estadio III, em que o cancro atinge a pele ou a grelha costal ou tem mais de 10 gânglios afectados mas não disseminou para outros órgãos.

Cancro da mama metastizado ou metastático (CMM)

Trata-se de cancro que alastrou da mama para outra parte do corpo.

Cancro da mama precoce

Cancro da mama que não alastrou para além da mama ou dos gânglios linfáticos axilares.

Células

Pequenas estruturas que constituem todos os organismos vivos e os tecidos do corpo. As células substituem-se dividindo-se e formando novas células.

Classificação TNM

Um sistema de classificação utilizado pelos médicos para explicar até que ponto o cancro está disseminado no seu corpo, com vista a determinar o estadio geral.

– Estadios T (tumor) – a dimensão do tumor na mama

– Estadios N (nódulos) – a extensão com que o cancro disseminou para os gânglios linfáticos próximos da mama

– Estadios M (metástases) – a extensão com que o cancro disseminou para fora da mama para outras partes do corpo, como o osso, fígado e pulmões O seu médico reúne os resultados TNM para lhe indicar o seu estadio global. Isto é habitualmente o que o seu médico indica nos formulários dos exames.

Consentimento

Signifca que concorda com algo ou que dá permissão para que algo seja realizado.

DEG

D

Decisão informada

No cancro da mama, estas análises procuram sinais de cancro e da sua progressão. Exemplos incluem análises de marcadores tumorais e contagens sanguíneas.

Doença crónica

Defnição de doença crónica da OMS - Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, produzem incapacidade/deficiências residuais, são causadas por alterações patológicas irreversíveis, exigem uma formação especial do doente para a reabilitação, ou podem exigir longos períodos de supervisão, observação ou cuidados. De forma muito simples pode apenas dizer-se que se trata de uma doença que não é resolvida num curto espaço de tempo, é permanente e irreversível.

E

Ecografia

Imagem do interior do corpo criada por um equipamento que utiliza ondas de som de alta frequência.

Ensaio clínico

Um estudo de investigação que avalia como um novo tratamento ou abordagem médica atua nos doentes.

Estadio III

Cancro que está apenas localizado na mama, atinge a pele ou a grelha costal ou tem mais de 10 gânglios afetados mas não disseminou para outros orgãos.

Estadio IV

O estadio mais avançado do cancro da mama – quando se torna metastático.

Estadios

Os estadios do cancro (I-IV ou 1-4) são utilizados para explicar a extensão com que o cancro alastrou no corpo.

Estrogénio

Uma das duas hormonas sexuais femininas (a outra é a progesterona). Nas mulheres, os níveis de estrogénios alteram-se ao longo do curso de cada ciclo menstrual.

Estudo aleatorizado

Um estudo envolvendo pelo menos dois grupos diferentes de participantes. Os grupos são distribuídos por tratamentos diferentes (qual o tratamento que cada grupo recebe de entre os possíveis é decidido de forma aleatória).

Exames Imagiológicos

Também conhecidos por exames por imagem. Estes envolvem a obtenção de imagens pormenorizadas de zonas no interior do seu corpo. Exemplos incluem TAC e RM.

Exames laboratoriais

No cancro, estes exames procuram sinais de cancro e da sua progressão. Exemplos incluem testes a marcadores tumorais e contagens sanguíneas.

G

Gânglios linfáticos

Pequenos órgãos no seu corpo que podem indicar que o cancro alastrou, devido ao facto de se tornarem inflamados ou aumentados. Podem constituir uma ferramenta importante para avaliar a fase do seu cancro.

HMP

H

Hemograma

Uma análise ao sangue que indica as quantidades de cada tipo de célula sanguínea que contém uma amostra de sangue. Também conhecido como contagem das células sanguíneas.

HER2

Forma abreviada para recetor tipo 2 do fator de crescimento epidérmico humano. Uma proteína envolvida no crescimento normal das células. Algumas células do cancro da mama contêm muito mais recetores HER2 do que outras. Neste caso, diz-se que a doença é HER2 positivo (HER2+).

Hormonoterapia

Um tratamento para interromper ou retardar o crescimento de tumores hormonossensíveis. A terapêutica anti-hormonal atua bloqueando a capacidade do organismo para produzir hormonas ou interferindo com a ação hormonal.

M

Medicamentos antieméticos

Medicamentos para reduzir ou prevenir as náuseas e/ou vómitos.

Metástases

Tumores que ocorrem quando o cancro disseminou para além do local onde teve início no corpo. Por exemplo, quando o cancro da mama alastra da mama para o osso.

P

Perfusão intravenosa ou tratamento intravenoso

Medicamento administrado através de uma veia.

PET

Forma abreviada de “Tomografa por Emissão de Positrões”. É injetada uma pequena quantidade de lí- quido radioativo numa veia e um scanner capta imagens detalhadas que podem ser utilizadas para a análise de achados atípicos no corpo.

Progesterona

Uma das duas hormonas sexuais femininas (a outra é o estrogénio). A progesterona é libertada pelos ovários no decorrer de cada ciclo menstrual para preparar as mamas para a produção de leite e o útero para a gravidez.

Progressão

Quando os tumores ficam maiores e/ou o cancro alastra no interior do corpo.

Protocolo

Na terminologia médica, isto signifca um plano, como um processo acordado para ser seguido após uma pessoa ter sido diagnosticada com cancro. Um protocolo poderá incluir um plano de tratamento e abranger os aspetos práticos do tratamento.

QRT

Q

Quimioterapia

Um tratamento que visa destruir as células cancerígenas, utilizando medicamentos citotóxicos (anticancerígenos).

R

Radiografia

Radiação utilizada para captar imagens ou radioterapia.

Radioterapia

A utilização de ondas de radiofrequência de elevada energia para destruir as células cancerígenas e reduzir os tumores.

Recetores hormonais (RH)

Uma proteína celular que se liga a uma hormona particular. Quando a hormona se liga ao seu recetor, ocorrem diversas mudanças na célula.

Recidiva ou recorrência

Quando o cancro volta após um período de tempo em que o cancro não era detetável. Se tal acontecer, pode ocorrer meses ou anos após o tratamento inicial. O cancro pode recorrer onde surgiu pela primeira vez ou em outro local do corpo.

Remissão

Quando os tumores diminuem (remissão parcial), nalguns casos de tal modo que deixam de ser detetados por testes ou exames (remissão completa).

RM

Forma abreviada de “Ressonância Magnética”. Utiliza ondas de radiofrequência e um potente campo magnético para criar imagens pormenorizadas de órgãos no interior do corpo.

T

TAC

Forma abreviada de “Tomografa Axial Computorizada”. Utiliza um conjunto de raios-X para criar uma imagem detalhada de zonas no interior do corpo. Poderá ser-lhe administrado um corante (para engolir ou sob a forma de uma injeção) para que os tecidos e órgãos sejam mais claramente visíveis.

Terapêutica alvo

Um tratamento direcionado para características específicas das células cancerígenas para impedir que cresçam ou se dividam.