Skip directly to content

EFEITOS SECUNDÁRIOS DO TRATAMENTO E COMO OS CONTROLAR

EFEITOS SECUNDÁRIOS DO TRATAMENTO E COMO OS CONTROLAR

Alguns dos efeitos secundários mais frequentes do tratamento para o cancro incluem sensação de cansaço ou exaustão (fadiga), dor, náuseas, vómitos, diarreia, perda de cabelo, contagem baixa de glóbulos brancos, e ganho de peso ou perda de peso.

Informe sempre o seu médico e a equipa clínica sobre efeitos secundários ou novos sintomas que possa estar a ter, pois estes podem estar relacionados com o tratamento ou com a evolução da doença. Existem medicamentos ou estratégias que a podem ajudar a gerir os efeitos secundários; poderá ser necessário ajustar a dose do seu tratamento.

  • Os efeitos secundários podem ser piores nos primeiros dias após o tratamento: Por isso, não aceite compromissos que não possa cancelar para os primeiros dias após receber um tratamento intravenoso (injeção realizada numa veia). Conceda algum tempo para cuidar de si.
  • Não existe nenhum “medicamento mágico” que faça desaparecer por completo os efeitos secundários do tratamento – é uma questão de encontrar aqueles que melhor resultam para si. Por exemplo, algumas mulheres consideram que o exercício e as terapias complementares – como o ioga ou a acupuntura – são particularmente úteis.
 
Nem todas as pessoas têm efeitos secundários com o tratamento. Por isso, se não tiver nenhum efeito indesejável, isto não significa que o seu tratamento não está a resultar.
Que efeitos secundários devo esperar?

Os efeitos secundários irão depender do tipo particular de tratamento que receber – podendo variar de medicamento para medicamento. Por outro lado, as pessoas reagem de forma diferente ao tratamento, pelo que poderá não ter os mesmos efeitos secundários de outras pessoas a tomar a mesma medicação.

Informe sempre a sua equipa clínica sobre os efeitos secundários que possa ter, para que possam determinar se resultam do tratamento ou do cancro propriamente dito, e encontrem formas de a ajudar.

Se considerar que lhe é muito difícil tolerar os efeitos secundários do seu tratamento, fale imediatamente com o seu médico. Poderá ser possível alterar a dose do seu tratamento ou encontrar um tratamento diferente que não lhe cause esses efeitos secundários.

Efeitos secundários frequentes
Dor

O cancro nem sempre está associado a dor mas, se sente dores, é importante que informe a sua equipa clínica. Podem administrar-lhe medicação para ajudar e recomendar métodos para o alívio da dor. Poderá revelar-se útil manter um registo da frequência e da gravidade da dor, se piora à noite ou quando faz atividades específicas. O alívio eficaz da dor terá um grande impacto para se sentir melhor. Pode ajudar a diminuir a fadiga, ansiedade, depressão e melhorar o seu sono e bem-estar geral. 

 

A dor oncológica é habitualmente tratada com medicação e terapias complementares. Terapias como a acupuntura, massagens terapêuticas e técnicas de relaxamento podem ajudar a controlar a sua dor. Também o exercício pode ser útil.

Fadiga

A fadiga é um sintoma frequente e é muito mais do que uma sensação de cansaço: é uma completa exaustão. Pode estar relacionada com o efeito físico do próprio cancro ou com um efeito secundário do tratamento. Ou poderá estar associada a alterações nos seus padrões de sono, bem como ao stresse e ansiedade adicionais.

Dicas para lidar com a fadiga:

Náuseas e vómitos

As náuseas e vómitos não tratados podem fazê-la sentir-se muito cansada e podem causar problemas de saúde mais graves. Informe a sua equipa clínica se tiver estes sintomas. Estão disponíveis medicamentos que a podem ajudar a controlá-los.

Dicas para reduzir as náuseas e vómitos:

 

Problemas de sono e insónias

Diversos fatores podem impedi-la de ter uma boa noite de sono. Dor, stresse, efeitos secundários do tratamento, ansiedade, depressão, tudo pode agravar a situação. Poderá ter dificuldade em adormecer, despertar frequentemente durante a noite ou acordar muito cedo. Isto poderá afetar a sua capacidade de funcionamento no dia-a-dia. Informe o seu médico - ele poderá prescrever-lhe medicação para a ajudar.

Dicas para ajudá-la a dormir:

 

Falta de concentração e alterações cognitivas

Tal pode ser causado por alterações físicas ou emocionais. Pode, ou não, estar relacionado com o seu tratamento. É importante que informe a sua equipa clínica se tiver problemas de concentração.

Perda de cabelo

É provável que sinta alterações no seu cabelo se estiver a fazer quimioterapia  Nem todos os medicamentos fazem perder o cabelo, mas poderá verificar que este se torna mais fino ou mais seco. Mesmo a hormonoterapia pode tornar o cabelo mais fino. A perda de cabelo pode ser muito perturbadora e poderá ser boa ideia cortá-lo curto se souber que o vai perder. Poderá assim ter algum controlo sobre a situação, em vez de aguardar que ele caia. Faça o que sentir que é melhor para si.

Quem me pode ajudar com a minha perda de cabelo?

Alguns hospitais dispõem de apoio e aconselhamento em relação a diferentes soluções, como lenços e perucas. Pergunte à sua equipa clínica se é o caso do seu hospital.

No caso de algumas quimioterapias, mas não em todas, a utilização de um capacete de arrefecimento poderá ser uma forma eficaz de prevenir a perda de cabelo. A maioria das pessoas tolera
bem o capacete de arrefecimento mas para algumas pode ser desconfortável. Pergunte ao seu médico se este poderá ser útil para o seu tratamento em particular e se está disponível no seu hospital.

Os grupos de apoio ou as associações de doentes de cancro da mama poderão também encaminhá-la para cabeleireiros especializados nesta área. Poderão igualmente prestar aconselhamento e apoio para lidar com as mudanças no seu aspeto.

purple