Skip directly to content

CUIDAR DO MEU CORPO E DA MINHA MENTE

CUIDAR DO MEU CORPO E DA MINHA MENTE

Há muitas coisas diferentes que pode fazer por si. O mais importante é não ser demasiado exigente consigo própria.
Conte que irá ter dias bons e dias maus, seguidos de mais dias bons. Não espere sentir-se positiva todos os dias. Quando se sentir stressada, compreenda que o que sente num dado momento pode mudar.

Muitas mulheres encontraram ajuda nas terapias complementares no que toca ao stress, ansiedade e efeitos indesejáveis físicos.

Devo alterar a minha alimentação?

Apesar do que possa ter lido, não há uma “dieta para o cancro” que seja particularmente recomendada depois de ter uma doença oncológica ativa. Como é evidente, uma alimentação saudável é uma das melhores decisões que pode tomar para fortalecer o seu sistema imunitário – quer tenha CMM ou não. Uma dieta equilibrada pode ajudá-la a combater as infeções ou vírus. O stress e alguns tratamentos oncológicos podem enfraquecer o seu sistema imunitário, o que pode fazer com que adoeça mais vezes.

Fazer uma dieta equilibrada não significa que tenha que eliminar alimentos ditos menos saudáveis, como o chocolate ou as batatas fritas - estes podem e devem ser incluídos se representarem para si uma fonte de prazer.
Faça simplesmente aquilo que a faz sentir-se bem.

Se desejar alterar a sua alimentação, peça à equipa clínica que a acompanha para a referenciar para um nutricionista ou dietista, que a poderá ajudar a fazer mudanças positivas de forma gradual. Pode também ajudá-la a ajustar a sua dieta, se tiver náuseas, diarreia ou outros problemas durante ou após o seu tratamento oncológico.

O exercício faz-me bem?

Sim, foi demonstrado que a prática regular e moderada ajuda física e emocionalmente. Uma simples caminhada de 10 minutos por dia pode ajudar com os sintomas do cancro, como o cansaço e a falta de apetite. O exercício pode também ajudar a reduzir o stress, a estimular o sono e a reduzir a dor.


Escolha o que mais gostar. Não tem que se limitar a alongamentos – talvez seja a dança que a faz sentir-se mesmo bem! Mas escute sempre os sinais do seu corpo e aprenda a descobrir quais são os seus limites. É possível que se sinta excessivamente cansada com maior facilidade do que antes. Se isso a preocupa, converse com o seu médico sobre que tipo de exercícios são adequados para si.

QUANTO e QUE TIPO de exercício resulta no seu caso irá depender de muitos fatores, como o seu nível de condição física antes do tratamento, o tipo de tratamento que está a receber e os efeitos secundários e sintomas que tem. Poderá ter de evitar alguns tipos de movimentos intensos se o seu cancro se disseminou para os ossos ou se tiver sintomas que afetem os seus ossos. Fale com a sua equipa clínica.

As terapias complementares ou “naturais” ajudam?

Muitas mulheres com CMM verificaram que as terapias complementares podem ter um papel importante associadas aos cuidados de saúde “convencionais”. Podem ajudá-la a lidar com o cancro fisicamente – com os efeitos secundários – bem como mentalmente, reduzindo a depressão ou a ansiedade. 

Deve informar sempre a sua equipa clínica sobre as terapias complementares que realiza, dado que podem ter impacto no seu tratamento oncológico.

Pontos chave a considerar sobre ajudar-se a si mesma a sentir-se melhor

  • Coma aquilo que a faça sentir-se bem. Não tem de seguir nenhuma dieta específica
  • Qualquer atividade física pode ajudá-la a sentir-se melhor, mental e fisicamente, nem que seja uma caminhada de 10 minutos
  • Escolha as atividades que a façam sentir-se bem. Não há limites estabelecidos para o seu nível de atividade física
  • Muitas mulheres consideram que as terapias complementares ajudam a atenuar os efeitos secundários e a ansiedade
light-green